This is default featured slide 1 title

This is default featured slide 1 title

You can completely customize the featured slides from the theme theme options page. You can also easily hide the slider from certain part of your site like: categories, tags, archives etc. Mais »

This is default featured slide 2 title

This is default featured slide 2 title

You can completely customize the featured slides from the theme theme options page. You can also easily hide the slider from certain part of your site like: categories, tags, archives etc. Mais »

This is default featured slide 3 title

This is default featured slide 3 title

You can completely customize the featured slides from the theme theme options page. You can also easily hide the slider from certain part of your site like: categories, tags, archives etc. Mais »

This is default featured slide 4 title

This is default featured slide 4 title

You can completely customize the featured slides from the theme theme options page. You can also easily hide the slider from certain part of your site like: categories, tags, archives etc. Mais »

This is default featured slide 5 title

This is default featured slide 5 title

You can completely customize the featured slides from the theme theme options page. You can also easily hide the slider from certain part of your site like: categories, tags, archives etc. Mais »

 

Categoria: Testemunhos

Fábio Peres

pbfabioperesMeu nome e Fábio Peres Peixoto, nascido em 02 de Maio de 1977, em Nova Iguaçu no Rio de Janeiro. O nome da minha mãe é Maria do Socorro Peres Peixoto e meu Pai Américo Soares Peixoto (in memorian). Desde pequeno sofria com as dificuldades de convivência dos meus pais em seu relacionamento, assistia constantes brigas e discussões entre eles, meus irmãos e parentes.

No dia 28 de novembro de 1993, enfrentei o mais duro golpe que a vida poderia me dar, foi neste dia que meu pai veio a falecer. Lembro-me que durante toda a noite ele estava passando muito mal, por este motivo fiquei ao seu lado toda a madrugada. Quando já passava das 05:00 horas, adormeci ao seu lado e ouvi quando duas pessoas conversavam dizendo: ‘Ele nem sabe o que vai acontecer quando acordar’, despertei do sono e vi que não havia ninguém além de nós naquele lugar. Voltei a dormir.

Por volta das 06:00 horas acordei com minha mãe que estava desesperada, pois meu pai havia piorado muito e reclamava de fortes dores na cabeça, imediatamente o levamos ao hospital, seu quadro clínico era muito grave quando ele deu entrada na emergência. Ajoelhei-me diante daquele Hospital e prometi a Deus que voltaria para a “Sua Casa” se meu pai não morresse naquele dia (havia me afastado dos caminhos do Senhor aos 12 anos de idade). Sabia que estava apenas me enganando, só queria ver meu pai bem!

Após algum tempo, os médicos disseram que ele estava passando bem e que poderia receber visitas na parte da tarde. Mais tranqüilos, voltamos para casa para aguardar o horário da visita. Pouco depois de chegarmos a casa, um carro da funerária chega com a notícia da morte de meu pai.

A partir desse momento fiquei apoderado de sentimentos terríveis como dor, ódio, raiva e medo. Passei a conversar com o inimigo de nossas almas (Satanás) todos os dias desde aquela notícia. Ele me dizia que meu pai havia morrido por estar freqüentando a igreja e que eu deveria ‘jurar’ nunca mais entrar em uma igreja evangélica em forma de pacto entre eu e ele, fiz este pacto então ele. Desde então, passei a odiar tudo que se dizia a respeito de Deus.

Passava dormindo praticamente todo o dia e acordado durante a noite. Tentei o suicídio por várias vezes. A primeira vez foi no dia do enterro de meu pai: em frente ao cemitério onde ele foi enterrado.

Existe uma rua muito movimentada por veículos, saí do cemitério e procurei ir para a rua esperando ser atropelado por algum carro, quando fazia isso, não passava nenhum carro, voltava para o cemitério, o movimento recomeça lá fora, voltava para a rua e novamente não passava nem uma “carroça”. Meu irmão Henrique que já era servo de Deus na época, percebendo o que estava acontecendo ficou ao meu lado impedindo que eu continuasse com aquele procedimento.

Numa outra vez, estava em casa quando subitamente despertei de um sono, pois me encontrava na cozinha de pé com uma faca nas mãos e tentava cortar os pulsos, neste momento ouvi uma voz que soprou em meus ouvidos dizendo: “Não faça isso, pois não é isso que Eu quero pra você!”. Pude perceber que Deus estava ao meu lado naquele momento.

No dia 12 de dezembro de 1993, recebi um convite do meu cunhado Carlos Roberto para ir ao Culto Jovem que seria realizado naquele dia, não consegui dizer “NÃO”, quando ele foi embora, satanás me disse: Você se esqueceu da sua promessa? Você não pode ir!!! Daí então comecei a pensar numa maneira de não ir ao culto.

Fui até a casa dele e lhe disse: Carlos, hoje eu não posso ir, pois vou assistir ao uma partida de futebol que irá passar na TV e não gostaria de perder este jogo (o time para qual eu era torcedor “doente” não estaria jogando naquele dia, aquele jogo não fazia diferença nenhuma para mim). Ele me disse: Tudo bem, eu espero o jogo acabar, o culto começa as 19:00 horas, até lá, o jogo já acabou.

Estava voltando para casa quando tive uma “grande idéia” e lhe disse: Também não posso ir, pois estou resfriado e está chovendo! (estava apenas chuviscando naquele dia). Ele me disse: Tudo bem, nós vamos de carro, pois o Felipe (seu filho) é pequeno e também não pode pegar chuva.

Voltei para casa muito chateado, não tinha conseguido o que queria. Lembro-me que quando me arrumava com a maior má vontade para ir ao culto meu irmão Henrique disse-me assim: Fábio, vê se você consegue se arrumar mais rápido para não chegarmos atrasados ao culto. Era tudo o que eu queria… Troquei de roupa novamente e resolvi não ir ao culto.

O Carlos novamente me convenceu a ir para a igreja, era realmente Plano de Deus na minha vida. No caminho Satanás falava comigo assim: Você não pode ir lá, Não pode dar ouvidos ao que você ira ouvir lá na igreja.

Durante o culto encontrei um colega de futebol que há muito tempo não o via. Ele me falou de Jesus e me disse que se eu precisasse de ajuda para aceitar Jesus poderia contar com ele.

Respondi-lhe então: NÃO QUERO ACEITAR JESUS, SÓ ESTOU ATENDENDO UM CONVITE, NÃO QUERO SABER DE IGREJA E NEM DE DEUS!

Não prestei atenção no culto quase em nenhum momento, mas quando o pregador começou a falar de Jesus, parecia que ele estava falando sobre toda a minha vida, a minha alma começo a entrar em conflito. Queria aceitar Jesus, pois tinha certeza que não viveria por muito tempo, satanás me dizia para ir embora dali.

Tomei a decisão: Vou aceitar Jesus! Quando tentei levantar do banco minhas pernas se recusavam a obedecer, estava colado no banco, comecei a suar frio, meu corpo não obedecia as minhas vontades, foi aí que lembrei do meu colega que havia me oferecido ajuda, olhei para ele e como somente a minha cabeça respondia aos comandos do meu cérebro falei com ele: “Rildo, me ajuda a ir lá na frente pois quero ir e não estou conseguindo”.

Quando ele colocou a mão no meu ombro e me ajudou a levantar, senti como se um “trem” estivesse saído das minhas costas, comecei a me sentir leve e aliviado, todas as tristezas, mágoas, raivas e sentimento de medo estavam se acabando dentro do meu coração. Não pude resistir e comecei a chorar diante da Presença de Deus que sentia tão fortemente naquele lugar.

Hoje sou casado com Patrícia Cardoso Sanson Peixoto (minha linda esposa) e tenho dois lindos filhos (Matheus e John Wesley) que amo muito. O Senhor me transformou num novo homem, atualmente sou Secretário Geral de Evangelismo e Missões da 1ª Igreja Evangélica Assembléia de Deus em Santa Rita, tudo para honra e glória do nome de Jesus, pois só Ele é Digno de todo o louvor.

Hoje Jesus ainda continua salvando, libertando e curando. Só depende de nós mesmos para Ele operar. Jesus te ama e tem algo de muito bom para você, acredite nisso!!!

Pb. Fábio Peres Peixoto

Servo do Senhor Jesus lavado e remido no sangue do Cordeiro.